sábado, 29 de outubro de 2016

OLHAR AS CAPAS


Balada do Café Triste

Carson McCullers
Tradução: José M. Guardado Moreira
Capa: Jorge Colombo
Colecção Ficções nº 14
Relógio d’Água, Lisboa s/d

É uma terra sombria. Não tem mais do que uma fábrica de algodão, casas de duas assoalhadas onde vivem os operários, alguns pessegueiros, a igreja com duas janelas de vitral e uma rua principal, feia, com apenas cem jardas de comprido. Aos sábados, os rendeiros das quintas em redor vão até lá para um dia de conversa e compras. Nos outros dias, está vazia e triste, como todos os lugares perdidos e distantes do mundo. O apeadeiro de comboio mais próximo é em Society City e as carreiras de camionetas Greyhound e White passam na estrada de Fork Falls, a três milhas de distância. Os invernos são curtos e ásperos, os verões resplandecentes e de um calor atroz.

Sem comentários: