sábado, 4 de fevereiro de 2017

OLHAR AS CAPAS


Quatro Paredes Nuas

Augusto Abelaira
Livraria Bertrand, Lisboa, s/d


- Sou médico, isto diz-lhe alguma coisa? Dir-lhe-á pelo menos: passei a minha juventude à espera da crise catastrófica do capitalismo. Que aconteceu? Se calhar espero que o desenvolvimento do capitalismo, a criação duma riqueza cada vez maior, seja a base que facilite depois a instauração dum regime socialista. E duma forma mais fácil, pois não partirá do nada. – Uma sarda no nariz Como foi possível que só agora desse por esta sarda no nariz? – Mas serei incapaz de perceber que esse tipo de riqueza impedirá, só por si, um novo tipo de relações entre os homens? Que seria o bicho dentro da maçã? Que afinal já envenenou numerosos socialismos? – Talvez não uma sarda, talvez um cisco. – E que a ruptura terá de ser completa? Na produção, no consumo, nos desejos, nas ideias, nos hábitos, na totalidade da vida? – Um grão de pó, sim.

Sem comentários: