sexta-feira, 10 de março de 2017

OLHAR AS CAPAS


Paris É Uma Festa

Ernest Hemingway
Tradução: Virgínia Motta
Capa: Infante do Carmo
Colecção Dois Mundos nº 90
Livros do Brasil, Lisboa s/d

Assim terminou a primeira parte da minha existência em Paris. Paris nunca mais voltou a ser a mesma cidade, embora continuasse a ser Paris. Nós mudáramos, tal como a cidade. Nunca mais voltámos ao Voralberg e o mesmo se verificou com a gente rica.

Paris é imortal e as recordações das pessoas que lá vivem diferem de umas para as outras. Acabamos sempre por voltar, sejamos nós quem formos, ou mude Paris no que mudar, ou sejam as dificuldades ou as facilidades que, ao regressarmos, se nos deparem. Paris vale sempre a pena, pois somos sempre compensados de tudo o que lhe tivermos dado. Mas Paris era assim nos velhos tempos em que nós éramos muito pobres e muito felizes.

Sem comentários: